Autoliderança: como exercitar a gestão de si mesmo?

Depois do texto que escrevi sobre os passos do autocoaching, algumas pessoas me responderam dizendo que fazer o autocoaching é uma tarefa muito difícil.

Fiquei pensando muito sobre isso e acho que não existe resposta mágica, mas o caminho, o único caminho é a gestão de si mesmo, a autoliderança.

Liderar a si mesmo é um dos passos mais importantes do pipeline de liderança proposto pelo autor Ram Charam. Isso significa ouvir você mesmo, falar com você mesmo, conhecer a si mesmo e se autogerenciar.

Esses são os direcionadores e a única forma de conseguir fazer um processo de autocoaching.

 Lembre-se que para viver bem em um mundo tão complexo é preciso saber quem você é, ter uma boa rede de relacionamentos e se desenvolver continuamente.

Se o problema for complexo, bem vindo ao time!

Vivemos em uma era de uma enorme multiplicidade, interdependência e diversidade, isso torna tudo mais complexo.

Para solucionar problemas tão complexos, precisamos antes de entender a natureza do problema, entender quem somos nós mesmos e para isso, posso afirmar que é de suma importância, entender como enxergamos a nós mesmos, o mundo e as pessoas que nos rodeiam.

As conclusões que tiramos a partir do que vemos dependem da forma como organizamos e julgamos aquilo que percebemos.

Sendo assim, a percepção é parte integrante e fundamental nesse processo. Não temos como liderar algo que não entendemos, que não compreendemos.

A percepção é formada por filtros. Esses filtros são: Nossas emoções, as experiências que tivemos ao longo da nossa vida, nossos valores pessoais e dos grupos dos quais fazemos parte desde o nascimento, nossa motivação e interesses e por fim, nossas crenças!

 Aqui vão algumas dicas para facilitar esse processo de autoliderança e gestão de si mesmo.

1.       Ouça a sua voz interna: O que ela clama? O que ela sugere?

2.       Ao ouvir atentamente sua voz interna, reconheça o sentimento por trás dela: Como você se sente?

3.       O que você identifica nessa voz? Um pedido de ajuda, um desejo?

4.       Fale com você mesmo: Quais são suas crenças em relação aos seus desejos, necessidades e motivações? Acha que pode conseguir ou não? Se acalme, se planeje, se oriente. 

5.       Agora aja! Identifique quais são os próximos passos e siga em frente!

Quer saber mais sobre o assunto? Deixe seu e-mail nos comentários! Será um prazer conversar com você!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *