Dá para ser criativo na quarentena?

Estava esperando que esse momento de quarentena me tornasse mais criativa e mais produtiva… Acreditei que, com mais tempo, eu conseguiria pensar, ler, produzir de alguma forma. Que nada! Me perdi em devaneios, em horas dedicadas ao fazer nada, em olhar o sol nascer e se pôr através das varandas do meu apartamento.

Me tornei voluntária, atendi meus clientes, me isolei no recolhimento, mas não me tornei mais criativa. O ócio me fez focar no importante, tudo aquilo que era urgente, não é mais, tudo aquilo que era inadiável ficou em segundo plano.

E o que é mais importante agora? Pelo menos para mim é o autocuidado e o cuidar dos outros. É curtir esse ócio, ampliar a respiração, valorizar a vida, as pessoas que eu amo, a relação profunda com meus clientes, mesmo no universo “online”. A conexão que temos conosco  e com as outras pessoas é o mais importante, mais importante do que qualquer outra coisa.

Essa conexão abre espaço para tudo o mais que vem. O medo da morte, a angústia que sentimos por alguém que amamos ser mais vulnerável a qualquer tipo de sofrimento, a fé que tudo vai ser passageiro e que Deus, ou uma força maior que todos nós, nos conduzirá a dias melhores.

Não estou mais criativa, ou mais produtiva, mas e daí?

Por outro lado, estou mais consciente, mais “light” e procurando, cada vez mais, alcançar uma consciência equilibrada. Me permitindo entrar em contato com emoções chamadas negativas, mas com equilíbrio para que os sentimentos não sejam sufocados nem exagerados, porque para alcançarmos essa consciência equilibrada, nos lembra Brené Brown, não devemos nos identificar demais com os pensamentos e sentimentos para não sermos capturados e arrebatados pela negatividade. Por isso tenho recomendado, fortemente, ao meus clientes que, nessa época de pandemia, não consumam em excesso as informações dos telejornais, onde dor e sofrimento são abordados por 24 horas, ter moderação no consumo de informações também faz parte do processo de nos mantermos equilibrados. Tenho recomendado equilíbrio e moderação em tudo! Principalmente com aquilo que comemos, bebemos, assistimos, lemos, falamos e ouvimos.

Precisamos nos manter conectados com a positividade e a consciência de que a vida é boa e merece ser vivida com plenitude e atenção.

Temos de ter consciência, por exemplo, que trabalhar é bom mas o mais importante é amar o que você faz. Quando você encontra propósito, a vida ganha significado.

Minha dica para você aproveitar esse e todos os outros desafios da vida é: Aproveite o ócio, aproveite os momentos de escassez, se prepare para novos tempos que virão, aproveite a vida do jeito que ela é e com tudo o que ela lhe trouxer! Somente assim poderemos usufruir de verdade da nossa verdadeira humanidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *